• Ronaldo

    Werneck
    Poeta
    Crítico
    Escritor
  • O mar que não era mar levou-me ao mar de papel, mar da memória,
    mar-palimpsesto. Rimbaud como isca, a rede trouxe faíscas de Mallarmé,
    é claro, e também Pound, Camus, Camões, João Cabral, Jorge de Lima,
    Mário Faustino, Gullar, Leopardi e outros e outros – todos sobrenadando
    ao sol sob o azul que a gente fita. O que mais dizer?
    De quebra(mar) alguns novos poemas que bateram na areia.
    Essa é minha praia.

LIVROS publicados

SEM POLISSEMIA

NÃO HÁ POESIA.

Poeta, Cronista e Crítico, Ronaldo Werneck já realizou vários projetos e publicou mais de uma dezena de livros. Nasceu em Cataguases MG, onde voltou a residir após mais de 30 anos de Rio de Janeiro

Perfil

Vídeo em destaque

Apaguem os lampiões Acendam o sol



Novidade no Blog

  • 01 FEV
  •  

    Oscuro amore: Cego na Ficção

     

    Em meados de 1978 fui diagnosticado com glaucoma. O oftalmologista com a palavra: “tem que pingar esse colírio de 12 em 12 horas, senão a coisa fica preta”. Literalmente preta, pensei. Nunca mais o mar, nunca mais o amarelo de Van Gogh. Da aflição, do temor, surgiu um esboço de conto, o primeiro e único que escrevi...

     


  • Leia a crônica

Ronaldo Werneck